A obra faz parte da campanha Água África, que arrecada doações para a perfuração de poços artesianos na África Subsaariana, especificamente em Madagascar e Moçambique.
Os cânticos e danças no centro de Acolhimento da Fraternidade sem Fronteiras, localizada na aldeia moçambicana de Matuba/África, anunciam e comemoram a água que jorra do poço artesiano perfurado na comunidade e que, agora, permite que os 860 acolhidos tenham acesso a uma fonte segura de água potável para consumo.

“A perfuração deste poço foi recebida com grande alegria por todos, pois poderão se beneficiar de água potável para beber, cozinhar e fazer a higiene. Antes as mamães tinham que ir buscar água num fontanário fora do centro e traziam as latas de água na cabeça. O fontanário é muito disputado pela comunidade, levam-se horas para conseguir um balde de 20 litros, às vezes, para cozinhar precisava buscar [água] um dia antes”, conta o coordenador do projeto Acolher Moçambique, Alan Xavier. A água que brotou do solo africano foi fruto de muitos corações fraternos que sabem como esse líquido precioso é um direito fundamental de todos nós e o quão importante ele é numa região em que o acesso à água potável é tão difícil.

De acordo com o relatório publicado em 2019 da WaterAid, na África Subsaariana (região que a FSF atua), apenas 28% da população tem acesso aos serviços de saneamento básico, abastecimento de água potável e esgoto sanitário.
Essa realidade está sendo transformada com a união de voluntários, padrinhos e madrinhas de várias partes do mundo, que, juntos, fortalecem o movimento fraterno que busca acolher nossos irmãos africanos. A voluntária e caravaneira Eliana Simioni, conta como é compartilhar desse momento tão especial para tantos corações que fazem parte dessa corrente solidária: “A emoção de ver jorrar o primeiro jato de água numa aldeia, é algo que nesta vida que não saberei explicar. Imaginar que a água mudará toda a vida da comunidade e em torno dela, mudará a história das próximas gerações, mudará os sonhos, o caminho, a busca… De tal forma que não será possível de medir no tempo. O jorro de água é o mais profundo significado que nada nunca mais será do mesmo jeito. Fazer parte disso é fazer jorrar o amor em gotas de água”.

O movimento fraterno alegra os corações de quem doa e recebe, e modifica com amor a realidade de dezenas de pessoas. A gratidão dos acolhidos é grande, como divide a coordenadora do centro de Acolhimento Matuba, Judite Sigauque: “Estamos muito gratos pela nosso fontanário de água, porque antigamente não fácil para tirarmos água. Então, hoje em dia, já temos água e estamos muito felizes e muito gratos. Muito obrigada a nossos padrinhos! ”.

Veja no vídeo abaixo, Judite Sigauque apresentando o novo fontanário do Centro de Acolhimento Matuba.