Projeto Microcefalia2019-02-12T23:10:11-02:00

O Projeto

Um trabalho que une ciência e amor, em Campina Grande, no Estado da Paraíba (Brasil): crianças vítimas da microcefalia recebem tratamento especializado no Centro de Atendimento Integral, do Instituto de Pesquisa Professor João Amorim Neto. No local, uma equipe multidisciplinar, formada por fisioterapeutas, psicólogos, médicos e outros profissionais de saúde, oferecem aos pacientes e às suas famílias as medidas terapêuticas e o acompanhamento regular que se fazem necessários nesses casos.

A FSF abraçou a causa, que nasceu do coração e da dedicação da médica e pesquisadora Adriana Melo – responsável pela descoberta da relação entre o zika vírus e a microcefalia.

Nos últimos anos, o aumento do número de casos de microcefalia no Nordeste brasileiro chamou a atenção das autoridades de saúde do país e de todo o mundo. Hoje sabe-se que eles estão muito relacionados ao zyka virus, contraído pela mãe no início da gestação, pela picada do mosquito Aedes aegypti. A presença do vírus no organismo materno leva à malformação cerebral das crianças, que precisarão de cuidados especiais durante toda a vida.

Descoberta Científica

Em 2015, o Brasil viveu um surto de bebês nascidos com microcefalia, mas a rede pública não estava preparada para oferecer o tratamento adequado.

Comovidos com o desamparo das mães, voluntários, apoiadores e padrinhos, unem-se à médica Adriana Melo para ajudar.

As pesquisas comprovam também que quanto mais cedo o tratamento começa, maior a chance de superar as sequelas.

POST RELACIONADOS

Fique por dentro das ações da Fraternidade Sem Fronteiras

CONHEÇA NOSSOS PROJETOS

Projetos Prioritariamente Apoiados pelo Núcleo Suíça

Ação Madagascar
Ação Moçambique
Microcefalia, ciência e amor